Setembro 2009


Anúncios
Conta uma lenda de Zhongshan que, um dia, um ébrio matou uma cobra pitão e lançou-a ao rio. Todos quantos bebessem água desse rio depois da serpente gigantesca ter caído à água, ficavam curados das suas doenças. Foi esta lenda que deu origem à Dança do Dragão Embriagado.
As comunidades piscatórias de Macau congregam-se todos os anos para fazerem uma festa com danças e um cortejo em honra do Dragão Embriagado. Esse cortejo parte da Rua dos Mercadores e segue pela Rua do Tarrafeiro, Templo de Hong Kung, Rua das Estalagens e Iao Hon, voltando, no final, ao ponto de partida. Sempre no oitavo dia do quarto mês do calendário lunar.

Os Correios de Macau editaram em 2006 a obra do historiador postal, Luís Virgílio de Brito Frazão, “História e Desenvolvimento dos Correios e das Telecomunicações de Macau, Vol. II – História Postal de Macau 1884-1999”.
Trata-se dum livro com 865 páginas e 361 excelentes figuras impressas em papel couché, onde é reproduzida legislação, mapas, plantas, fotografias, gráficos, balancetes e tabelas de portes.
É reproduzida igualmente correspondência, avisos, circulares, editais, anúncios, regulamentos e boletins dos correios, São reproduzidos ainda carimbos e marcas postais, bem como cartas, selos e blocos de selos, inteiros postais, cintas de jornais, telegramas e cupões resposta internacional.
Antes fora editado “História e Desenvolvimento dos Correios e das Telecomunicações de Macau, Vol. I – do Correio Marítimo ao Início do Período Adesivo”, cuja análise se inicia em 1798 e termina em 1884.
Para esta obra o autor efectuou consultas aos arquivos de Londres, Goa, Portugal e Macau, configurando as actividades do correio marítimo de Macau, em que participaram portugueses e ingleses durante quase 100 anos, na época que foi desde o fim de Quialong até meados de Jiangxu da dinastia Qing.
Trata-se do primeiro livro na história dos correios e das telecomunicações de Macau que fala das actividades postais de Macau desde 1798 até 1884. Redigido em português e chinês, com 502 páginas e 180 excelentes figuras, das quais ressaltam envelopes de grande valor histórico e filatélico, bem como peças do espólio do Museu das Comunicações de Macau.
O livro está à venda nas lojas Filatélicas em Macau, podendo ser adquirido por via postal através de carta endereçada aos Correios de Macau, Largo do Leal Senado, Macau.

Uma edição de postais de 1993 alusivos aos anos de 1950 nos correios

The Ruins of St. Paul’s in the Shaw Brothers film I, Murderer (1961)

O antigo Mercado da Taipa situa-se no centro da Vila da Taipa e tem em seu redor várias construções de estilo português e chinês, assim como edifícios históricos de grande valor patrimonial, como a ex-sede da Câmara Municipal das Ilhas, a Igreja da Nossa Senhora do Carmo, a Biblioteca, as Casas-Museu da Taipa, o Templo de Tian Hau, o Templo de Sam Po, entre outros locais de interesse.
O antigo Mercado da Taipa, construído há 116 anos, é um edifício cuja arquitectura se baseia na combinação de dois estilos, o chinês e o português. A estrutura do antigo Mercado é semi-aberta, constituída por pilares cilíndricos de estilo português e telhado chinês, sendo um edifício invulgar e por isso com valor arquitectónico que interessa preservar.

This was the place of the first public market in Taipa Island, used probably since the 19th century. It is the only ancient Market that remained in Macao, which had mixed, characteristic, reflecting Portuguese and Chinese preferences for markets place.
Was used by the local population for the selling and buying of fish and agricultural product’s of the island. It is at the crossroad of two main tourist axes that are paths for walking tourists, visiting temples, shrines, the Firecrackers Factory (Yec Long), shops and restaurants, and the former headquarters of the Island Provisional Urban Council (maybe a future museum?).
These harmoniously clustered buildings are what create a pleasant historical and cultural ambience.
This portico structure was in the 1920’s the central place of Taipa Town and the symbolic gate to the maze of streets in the inner urban fabric. In the urban level, this building worked as covered “Entrance Portico”, an hall for Taipa Village. This entrance is through the Rua Direita, coming from the Rotunda of Ouvidor Arriaga. Also serve as an entrance from hill side where the Carmo Church is located.
Michael Rogge visitou Macau em 1950 e 1961. Foram poucos dias de estadia mas que perduraram até aos dias de hoje, nas muitas fotografias tiradas e nos filmes de 16mm. Solicitei a Michael, hoje com 80 anos, um testemunho do que viu e sentiu nessa altura. Aqui fica… Noutros post’s mais abaixo já coloquei outras imagens destas duas estadias. As que aqui coloco são do ano de 1950.
This is all I can think of after more than fifty years:
“A year after I arrived as sort of a youngster in Hong Kong in 1949 to work for a Dutch bank there, I was given the opportunity to take part in a support team accompanying the hockey team composed of Dutchmen from the Netherlands community in HK. I had little affinity with hockey but found it an excellent opportunity to visit the then Portugese colony. The more so as we had many Portugese in our bank staff we had friendly relations with. The Dutchmen lost traditionally from their Macau opponents, but we had an opportunity to visit the colony. I rented a bike, a vehicle most Dutchmen go around with in the Netherlands.
I found Macau so relaxed and peaceful. In the evening we went to a casino where bets were lowered from an upper level to a lower level table. We also went to a dancing saloon. At the end of the weekend we returned again to Hong Kong by ferryboat.

Jogo de hóquei em campo no Tap Seac entre as selecções da Holanda e Macau em 1950

I returned to Macau ten years later in 1961 with linguist Husein Rofé. We stayed for a few days. I was working on a Dutch TV documentary film on HK and Macau. I did not find Macau and Tai Pa changed much. Details of what we saw can be found in the few Macau clips on YouTube. I was staggered when I saw recently a TV item on how Macau looks like now. I wouldn’t recognize it anymore and wonder whether I would enjoy it either as before. I’m very pleased with the great interest in the films I took half a century ago, injecting them with a second life.”

O deck inferior (classe económica) do ferry que fazia a ligação entre Hong Kong e Macau nos anos 50.

Criado em Março de 2009 o blog Macau Antigo tem cerca de 800 post’s e mais de 2000 imagens e em apenas 6 meses já recebeu a visita de perto de 50 mil cibernautas.
Continuem a visitar o blog e, se possível, façam o v. contributo com imagens ou simples testemunhos de Macau de outros tempos, de Macau di tempo antigo.
Este é, provavelmente, o maior acervo de textos e imagens da História de Macau disponível de forma gratuita na internet; infelizmente, até hoje, nenhuma instituição, de Macau e de Portugal, com responsabilidades na divulgação da História de Macau, se dignou a apoiar o projecto. Quem sabe se no futuro?

Um blog sobre Macau Antigo! A blog about Old Macau ! 美麗的舊澳門不能不看
Estórias que fizeram a História de Macau, do século XVI ao séc. XX, privilegiando a imagem. É esta a viagem (virtual) proposta e que de certo provocará novas (e reais) viagens pelos espaços ali apontados que atravessam gerações e continentes.
Está feito o convite. Para fazer o check-in é só seguir o endereço… A ‘estadia’ é grátis. O check-out será quando bem entender.
Boa Viagem!
PS: o
blog Macau Antigo estreia-se em breve com a publicação semanal no jornal Tribuna de Macau.

Página seguinte »