>

Obra de Carlos José Caldeira, editado em Lisboa pela Typographia de Castro & Irmão, em 1853.
Partindo de Lisboa em 1850 a bordo de um vapor inglês, o autor, depois de tocar Singapura, aportou em Macau, onde permaneceu durante dezasseis meses e no decurso dos quais teve a oportunidade de visitar Cantão e Xangai.
O livro revela o início do estertor da China imperial sob a acção conjugada das agressões militares europeias subsequentes às guerras do ópio, da abertura dos portos chineses após a assinatura dos primeiros tratados desiguais e do crescente descontentamento interno anti-Manchú que lavrava no país. A miséria generalizada, a toxicodependência, a desagregação dos exércitos e da administração chinesas num registo com claro apelo a uma intervenção portuguesa nos assuntos internos da China.
Anúncios