>

Convento S. FranciscoHá mais de quatro séculos foi construído pelos espanhóis um convento onde hoje existe o Museu das Forças de Segurança de Macau. Os portugueses transformaram o convento em quartel, tendo sido criadas aí uma fortaleza e uma bateria. Durante a administração do território de Macau pelos portugueses, esta construção era usada pelo Comando Territórial Independente de Macau (CTIM), ou seja, um órgão de comando militar. Depois de ter sido retirada, em 1975, a tropa portuguesa que foi destacada em Macau, passou a ser o edifício das Forças de Segurança de Macau.
TRANSFORMANDO O CONVENTO EM QUARTEL
Frades castelhanos fundaram o Convento de S. Francisco, inaugurado a 2 de Fevereiro de 1580. A estrada e o jardim tomaram também o nome do santo titular do convento, mas os chineses ainda hoje os lhe chamam “ dos castelhanos ”. Em 1861 o governador Coelho do Amaral mandou demolir o convento e construir, para o batalhão de primeira linha, um quartel que o destacamento ocuparia a partir de 30 de Dezembro de 1866. O quartel foi reconstruído em 1937.

ARTIGOS TRANSFERIDOS PARA AS IGREJAS

Após a demolição do convento de S. Francisco, de toda aquela grandiosa fábrica – convento e igreja – hoje nada resta senão o nome de S. Francisco dado ao quartel, ao jardim contíguo e a uma estrada da Solidão. O recheio da igreja de S. Francisco – imagens e alfaias – foi dali transferido, parte para a Sé e parte para S. Domingos ; o altar do Crucifixo foi para a igreja do Seminário de S. José, onde ainda hoje se encontra, bem como umas pilastras que sustentam o coro; quanto às alfaias e objectos da Confraria de N. Sra. dos Anjos foram, em 1872, para a igreja de Sto. Agostinho.
Fortaleza de S. Francisco e Bateria rasante 1.º de Dezembro em 1880;
imagem publicada na revista TA-SSI-YANG-KUO, de J. F. Marques Pereira,
Série I – Vol. II de 1889
FINS MILITARES DA FORTALEZA DE S. FRANCISCO
No passado, acomodando várias fortalezas, a fortaleza de S. Francisco tem demonstrado função primordial para fins militares.
Em 1601 foi iniciada em Macau a fortificação pelos portugueses. Em 1613 foi construído o baluarte da Barra, que é a mais antiga fortificação de Macau. Em 1622 havia então uma bateria no ponto onde hoje existe o forte de Santiago da Barra, outra em São Francisco e uma terceira em Bomparto. Na mesma altura foram mencionadas : Fortaleza de N. S.ª do Monte de S. Paulo, depois fortaleza de S. Paulo ; Forte de N. Sr.ª da Guia ; Forte de Patane e Forte de N. Sr.ª da Penha de França.
A primitiva fortaleza de S. Francisco tinha um plano irregular, a fim de seguir os contornos da base de apoio onde estava localizada. A fortaleza sofreu alterações depois de 1775, e a mesma posteriormente edificada em 1864 tinha uma forma mais regular. Em 1872 foi desenvolvida uma fortificação costeira situada precisamente abaixo da fortaleza de S. Francisco, designada por Bateria 1.º de Dezembro, para controlar, assim, tanto a navegação entre Macau e a Taipa, como a aproximação do Porto Interior. Mas tudo isto desapareceu quando começavam os trabalhos de aterro em 1921.

CANHÕES E PAIOL
A fortaleza de S. Francisco tinha seis aberturas para seis armas de bronze e dois pequenos torreões de observação no cimo das muralhas de Leste e Oeste. Na base da fortaleza havia um reduto, construído em 1623, que se projectava para o mar e que tinha apenas uma abertura para a maior peça de artilharia de Macau – uma colubrina que disparava tiros de balas de ferro de 16kg com um alcance de 2,5km. Em 1745 a fortaleza de S. Francisco tem sete peças e um paiol do lado esquerdo.
Texto do site da Direcção dos Serviços de Forças de Segurança de Macau

Anúncios