>

O antigo governador de Macau Almeida e Costa faleceu hoje (domingo, 25 de Julho) em Lisboa, após doença prolongada, disse à Agência Lusa um amigo de longa data deste oficial da Marinha portuguesa.
Segundo o coronel Amaral de Freitas, o estado de saúde de Almeida e Costa agravou-se nos últimos meses, tendo falecido às 16:00 de hoje no Hospital da CUF, em Lisboa.
O corpo vai estar na capela de São Roque, nas instalações do Estado maior da Armada, estando o funeral marcado para as 10:00 de terça-feira no cemitério de São João do Estoril.
Fernando Vasco Leote de Almeida e Costa nasceu em 1932 e como oficial da Marinha passou por Goa e Guiné-Bissau, onde foi distinguido com a Cruz de Guerra de 1.ª classe.
Após o 25 de Abril foi ministro da Administração Interna durante o governo de Pinheiro de Azevedo, entre Setembro de 1975 e Julho de 1976.
Em 23 de Junho de 1976, tornou-se primeiro-ministro interino após Pinheiro de Azevedo ter sofrido um ataque cardíaco durante a sua campanha presidencial e assim continuou até ao fim do mandato de Pinheiro de Azevedo, quando este foi substituído por Mário Soares.
Posteriormente, Almeida e Costa foi 134.º Governador de Macau, entre Junho de 1981 e Maio de 1986.
A sua passagem por Macau fica marcada pelo lançamento de projetos importantes para o futuro do território: a nova Taipa e o aeroporto, entre outros empreendimentos.
“Como governador de Maceu fez uma obra notável”, lembrou o coronel Amaral de Freitas.
Artigo da Agência Lusa assinado por FC.
Distinguido com a Cruz de Guerra de 1ª classe, Almeida e Costa foi ministro da Administração Interna no governo de Pinheiro de Azevedo, entre Setembro de 1975 e Julho de 1976. Após o ataque cardíaco sofrido por Pinheiro de Azevedo, em Junho de 1976, este oficial da Marinha Portuguesa foi primeiro-ministro interino até ao fim do mandato, antes de ser substituído por Mário Soares.
Depois, Almeida e Costa foi Governador de Macau entre Junho de 1981 e Maio de 1986, um período marcado pelo lançamento da nova Taipa e do novo aeroporto do território.
Reacções na Rádio Macau:
Segundo Leonel Alves, a politica de Almeida e Costa caracterizou-se por “muita crispação” em relação à comunidade macaense. No entanto, essa mesma crispação, termos de resultado final, acabou por “contribuir para a unidade da comunidade”.

Sales Marques, ex-presidente do Leal Senado, destacou os “imensos conflitos” que o então Governador criou, com determinadas politicas, embora salientando “a coragem” que Almeida e Costa teve, ao avançar com essas medidas.
Rocha Dinis, director da do “Jornal Tribuna de Macau” e um jornalista que esteve “frontalmente contra” a governação de Almeida e Costa, lembrou, também em declarações à Rádio Macau, que as politicas de Almeida e Costa contribuíram para a “desertificação dos portugueses em Macau”.
Anúncios