>

Antes de ser nomeado Governador de Macau – tomou posse a 4 de Fevereiro de 1957 no Ministério do Ultramar – já era um profundo conhecedor do Território. Pedro Correia de Barros nasceu em Loulé a 20 de Junho de 1911, filho de Miguel Correia de Barros e de Joaquina Correia Dourado de Barros. Ingressou na Escola Naval da qual se graduou em 1932, tendo também tirado os cursos de piloto observador militar de hidroaviões (1937) e o curso geral naval de guerra (1949). Foi Governador de Macau entre Março de 1957 e Setembro de 1958 e de Moçambique entre 1958 e 1962. Regressando à Metrópole (Portugal foi promovido em 1962 a Capitão de Mar e Guerra, posto no qual veio a morrer em 1968.
Em Macau foi comandante do Centro de Aviação Naval entre Outubro de 1941 e Outubro de 1943, nesta altura com a patente de 1º Tenente. Em simultâneio era ainda Presidente do Leal Senado e foi ainda Delegado do Governo na Comissão Administrativa da Caixa Escolar e Professor interino do 2º Grupo do Liceu Nacional Infante D. Henrique.  Terminada a comissão em Macau seguiu para Moçambique em 1945 acompanhando (a julgar pela coincidência das datas) o Gov. Gabriel Maurício Teixeira.

Regressaria a Macau no dia 8 de Março de 1957 onde desembarcaria do navio “Gonçalves Zarco” no Porto Interior já como Governador. Foi proclamado Cidadão Honorário de Macau. Mais uma entre as vastas distinções e condecorações da sua ‘folha de serviços’.

Faleceu em Lisboa com o posto de Capitão de Mar e Guerra em 2 de Fevereiro de 1968. No dia 23 o Diário de Notícias escrevia um artigo onde traçava o perfil do comandante Correia de Barros e dizia “uma carreira brilhante que bruscamente a morte veio interromper aos 56 anos.”

O Centro de Aviação Naval de Macau no Porto Exterior ca. 1941
Anúncios