>

São apenas peças partidas de porcelanas, mas que podem revelar-se um grande tesouro para a história de Macau. As primeiras escavações arqueológicas onde antes estavam os prédios de funcionários públicos na rua Belchior Carneiro, nas Ruínas de São Paulo, renderam fragmentos de porcelana dos finais da dinastia Ming e outros artefactos que vão ajudar a compor o cenário do antigo Colégio de São Paulo.
A equipa de arqueólogos descobriu fragmentos de Kraak, um tipo de porcelana chinesa azul e branca de exportação bastante rara na China e cobiçada pelas famílias reais europeias. No princípio do século XVII, a louça causava grande sensação na Europa e era uma das grandes paixões do rei francês Henrique IV e inglês James I. Descobriu-se ainda um objecto em cerâmica de formas raras, frequentemente encontrado em Holanda. Segundo os arqueólogos, os resultados da primeira fase de escavações “são bastante animadores” e reflectem “absolutamente a singularidade cultural de Macau”. “Estas descobertas são muito importantes para o estudo histórico-cultural e permitem destacar o valor do intercâmbio entre as culturas orientais e ocidentais”, disseram em conferência de imprensa.
Os especialistas lançam agora mãos a mais uma fase de escavações e terão uma ajuda extra: vão ter acesso a resultados de trabalhos de prospecção geoeléctrica e geomagnética. Isso significa que será possível conhecer a situação da distribuição no subsolo dos vestígios arqueológicos. Para os estudos continuarem, contudo, os outros dois prédios da década de 1960 vão ser demolidos. Os estudiosos contam que assim será possível encontrar mais vestígios da muralha e das valas que descobriram na área vizinha.
Quando o Governo anunciou a demolição das antigas residências de funcionários públicos, a principal ideia era utilizar o espaço para a construção de um parque de estacionamento para autocarros de turismo. Há dois meses, o Governo frisou que a decisão dependeria dos achados arqueológicos e empurra agora a decisão para o fim de todo o processo de estudo.
Notícia do jornal Hoje Macau de 13-09-2010
Prédio na Rua D. Belchior – Foto de Guida Pereira

Anúncios