>

O falecimento do Dr. Henrique de Senna Fernandes ocorrido na manhã de 4 p.p., obriga-me, por dever de consciência, a manifestar uma modesta e sentida homenagem para com quem me serviu de referência na minha vida.Tive o grato privilégio de o conhecer, de com ele trabalhar e conviver, primeiramente como seu aluno e, mais tarde, já adulto, em termos profissionais.
Fotografia publicada na edição especial do Jornal Tribuna de Macau de 5-10-2010 dedicada a HSF
Na qualidade de aluno do Liceu e numa altura em que a maior parte dos docentes eram considerados “inacessíveis e distantes”, o Dr. Henrique era humano, amigo dos seus alunos e sempre muito compreensivo para com os nossos problemas; nas suas aulas de História e Filosofia, havia sempre um espaço para as “histórias” da sua vida académica em Coimbra. Recordo-me como absorvíamos as descrições que ele fazia, sempre com enorme entusiamo, sobre a vida quotidiana dos estudantes universitários, as festas estudantis (Latadas e Queima das Fitas), bailes e namoricos, tudo para nós, motivo de grande curiosidade e novidade. Para além disso, era também o “elo” de ligação alunos-Reitoria em tudo quanto dizia respeito às actividades extra-curriculares: torneios e jogos desportivos, festas de Carnaval, passeios escolares, visitas de estudo, bailes, etc.. Era ele o responsável perante o Reitor. Obviamente que tudo isso marcou a juventude escolar que com ele conviveu.
Mais tarde, já adulto, e sobretudo quando fui substituí-lo na Direcção da Escola Comercial “Pedro Nolasco”, passámos a trabalhar mais de perto, uma vez que o Dr. Henrique era então Presidente da APIM (Associação Promotora da Instrução dos Macaenses), entidade responsável pelo funcionamento da Escola. Aí tivémos, durante cerca de 20 anos, um trabalho muito próximo e salutar em prol das necessidades da Escola e alunos e onde pude constatar o homem bom e superior que ele era. Sempre em sintonia com as orientações que lhe apresentava, foi invariavelmente compreensivo e amigo de todos.
Macau perdeu um grande Homem, prestigiado advogado, escritor reconhecido da Literatura Portuguesa e professor de várias gerações de jovens; foi sempre uma referência e defensor da comunidade macaense.
Os meus sentidos pêsames para a família e Paz à sua alma. Coimbra, 5 de Outubro de 2010
João Bosco Basto da Silva
NA: Depoimento solicitado a João B. B. da Silva no dia em que tive conhecimento da morte de HSF.
Anúncios