>

A Confraria da Gastronomia Macaense continua empenhada na candidatura da gastronomia macaense a Património Intangível da humanidade. Actualmente está a trabalhar na criação do núcleo museológico da gastronomia, recolhendo receitas, algumas delas mesmo muito antigas.  “Algumas felizmente já nos foram entregues. As mais antigas que temos em nosso poder remontam a 1880. São receitas com nomes muito interessantes e um dia destes havemos de as publicar”, referiu Luís Machado, o presidente da confraria ao JTM em 1-12-2010.
No entanto, antes de se poder lançar “uma colecção de receitas seculares de Macau”, há pormenores que têm de ser limados. “Vamos fazer com que as nossas confreiras e confrades as testem primeiro, porque as receitas indicam as quantidades e elementos mas depois não dizem o tempo de cozedura, por exemplo. As cozinheiras têm de deitar mãos à obra e não é uma obra fácil. Só depois de um trabalho de casa bem feito, que pode demorar meses ou até anos, é que iremos lançar o livro”, referiu.
Formigos
O Centro de Promoção e Informação Turística de Macau, em Portugal, vai continuar a realizar este mês acções de promoção da cozinha macaense. No dia 14 deste mês, o Centro organizará mais uma Semana de Gastronomia Macaense, desta vez com a Pousada Santa Marinha, em Guimarães. As Semanas de Gastronomia Macaense que o Centro tem vindo a organizar por Portugal são acompanhadas por um workshop dirigido aos operadores turísticos da respectiva cidade e região, com formação dada pela Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo, uma apresentação do coordenador do Centro sobre as novas infra-estruturas de Macau e terminam com um jantar ou almoço de comida macaense.
Anúncios