>

Pequeno artigo do Boletim (do Governo) en Junho de 1869 sobre o início dos trabalhos do que viria a ser o Campo da Victoria e onde seria colocado um monumento entretanto mandado fazer na Europa. O objectivo era assinalar a vitória sobre os holandeses que tentaram invadir Macau em 24 de Junho de 1622. Naquele local, também chamado de Campo dos Arrependidos, foi o máximo que chegaram dentro do território. 
Resumo do conteúdo de um artigo sobre esta invasão na perspectiva do comandante holandês publicado em Março de 1869 na revista “China Magazine”. 
Willem Bontikoe comandava o navio ‘Groningen’ que partiu da Batavia (Indonésiai) a 10 de Abril de 1622 com o objectivo de “capturar Macau”  onde chegou a 22 de Junho de 1622. No total eram 15 os navios holandeses mais dois britânicos. Nas primeiras horas do dia 24 de Junho desembarcaram 600 homens iniciando o ataque. Os portugueses estavam à espera entricheirados, mas “recuaram para um convento no alto d’um monte”. Entretanto os barris de pólvora dos holandeses incendiaram-se e, diz o comandante, os portugueses foram informados do facto por um japonês que desertou para o lado dos portugueses. Quando preparavam o regresso aos navios para reabastecer de pólvora os portugueses atacaram e foi o massacre. 120 mortos e outros tantos feridos entre os holandeses. Centenas de presos (os arrependidos).
Há uns anos contaram-me uma história curiosa. Aquando de uma limpeza na mata do Monte da Guia no início do século XX foram encontrados muitos vestígios da passagem dos holandeses: malas, roupas, armas, etc… Onde estão? Nunca ouvi falar.
Agradecimentos: A. Cação
Anúncios