Chinnery


>

George Chinnery (Chinese: 錢納利; 5 January 1774 – 30 May 1852) was an english painter who spent most of his life in Asia, especially India and southern China. Chinnery was born in London and after training in England became a famous portrait painter in Ireland by 1802. His father owned several trading ships and his elder brother, William Chinnery, owned what is now Gilwell Park. He was a close friend of the artist, William Armfield Hobday.
Chinnery ran into debt and went to India in 1802 on a ship named Gilwell. He there re-established himself as a painter, but debt prompted a move again in 1825, when he went to southern China. While in China, he mentored Lam Qua, who eventually became a renowned medical portrait painter. He travelled around the Pearl River Delta, between Macau and Canton (now Guangzhou). He had been to Hong Kong after the British founded the city, and subsequently fell ill. He died in Macau in 1852 and is buried in the Old Protestant Cemetery there.
Other than artistic value, his paintings are historically valuable as he was the only western painter in South China between the early and mid 19th century. He presented the life of common people and landscape of the Pearl River delta at that period. Chinnery left sketches for creation of other paintings. He had learnt shorthand from his grandfather and he used his modified shorthand for jotting quick notes on sketches. The Hongkong and Shanghai Banking Corporation has a collection of Chinnery’s works because of his connection to Hong Kong. But also Matheson Ltd, Museu de Arte de Macau, Sociedade de Geografia and several private collectors.
He’s the Western artist who most influenced India and Southern China in the 19th century. He moved to Macao in 1825, and his vivid and lively sketches of local street scenes have become precious historical records for the study of the region’s history.
George Chinnery, nascido em Londres em 1774, é um dos mais conhecidos retratistas que visitaram o Oriente – incluindo a China e a Índia – e  um dos mais influentes pintores ocidentais que trabalharam no Oriente durante o séc. XIX. O seu avô era perito em desenho de croquis e Chinnery, por ordem de seu pai, foi educado na Royal Academy of Arts a partir dos 18 anos. Em 1802, Chinnery deixou a Inglaterra para se fixar no Oriente. Em 1825 radicou-se em Macau em 1825 onde morreu a 30 de Maio de 1852. Está sepultado no Cemitério Protestante. Durante a sua estada no território – que lhe deu um nome de rua, capturou para a posteridade retratos, paisagens e cenas da vida quotidiana. Tais obras preservam os traços da Macau de então e servem como preciosos registos históricos da cidade já que na altura a fotografia dava os primeiros passos. Chinnery viveu também em Cantão e Hong Kong durante um curto período. A Sociedade de Geografia de Lisboa tem uma colecção de desenhos de Chinnery.

>

No próximo dia 19 de Abril, às 18h30, terá lugar na Sociedade de Geografia de Lisboa (SGL) mais um seminário, desta feita acompanhado por uma exposição das obras de George Chinnery da colecção da SGL, e que terá lugar nessa instituição. O seminário estará a cargo de Patrick Conner (Martin Gregory Gallery, Londres), especialista em George Chinnery e China Trade, e Rogério Miguel Puga (CETAPS). Esta é ainda uma oportunidade única para visionar as obras do pintor que normalmente não se encontram expostas.
reprodução de um dos quadros de Chinnery que estão na SGL

>

“Quando estive a preparar e seleccionar os conteúdos para as exposições do Museu de Macau, cerca de 1995, pedi a um professor da escola “Pui Ching” e a um jovem jornalista chinês de Pequim, que trabalhava na altura em Macau, para me fazerem algumas pesquisas e apresentar os respectivos trabalhos, relativos aos seguintes assuntos: “Barbeiros de Rua”, “Farmácias Chinesas”, “Profissões Típicas” e “Lojas de Chá”.”
Carlos Bonina Moreno acabou por não os utilizar no Museu, mas teve a amabilidade de os oferecer ao Blog Macau Antigo respondendo a um desafio que lhe coloquei. Muito obrigado, Carlos.
O texto relativo ao tema Barbeiros de Rua intitula-se “Associação de Cabeleireiros de Macau” (ACM) e refere que foi fundada em 1946. Nos primeiros anos tinha mais de 100 sócios e combra uma quota mensal de 50 avos. Era a associação que fixava os preços praticados pelos barbeiros aos clientes A sede ficava na Av. Almeida Ribeiro, Farmácia de Yu Kon, 3º andar. Na década de 1950 a crise do pós guerra fez com que os barbeiros de Macau reduzissem os preços que só começaram a subir em 1958. Esta tabela terminou em 1987.
Nos anos de maior dificuldade no negócio a ACM ajudava os sócios e respectivas famílias fornecendo-lhes roupa e alimentos. Na década de 1960 há registo de mais de 600 sócios. Nos anos 90 o número de sócios era muito semelhante, sendo que 50 eram barbeiros de rua. A quota mensal era de 5 patacas. A sede ficava na Rua 5 de Outubro.
Desenhos de Chinnery